O congelamento de óvulos também é conhecido por criopreservação de óvulos ou criopreservação de oócitos. O congelamento possui as mesmas etapas iniciais de uma fertilização in vitro. São estimulados por meio de medicamentos via oral e subcutâneo com a formação e crescimento de múltiplos folículos nos ovários. Depois, esses folículos são aspirados e os óvulos coletados são transferidos ao laboratório para avaliação. Os óvulos são avaliados e os que apresentarem condições adequadas são congelados para uso no futuro. O grande benefício do congelamento de óvulos é viabilizar um procedimento de reprodução no futuro, utilizando sua própria carga genética.

A primeira etapa para as mulheres que desejam fazer o tratamento é se consultar com um médico especialista em reprodução humana. Na consulta inicial serão solicitados exames para verificar como esta a reserva ovariana. Entre eles dosagem de FSH, LH, Estradiol Prolactina, T4 TSH, Hormônio Anti Mullerianao, Ecografia para contagem de folículos antrais. Com estes resultados serão esclarecidas as demais etapas do tratamento e datas de retorno médico. Ainda nessa etapa será discutido sobre o processo de estímulo ovariano assim como orientações sobre uso de medicamentos, rotina de visitas ao médico, e a como será realizada a coleta dos óvulos.

O tratamento começa na segunda etapa do processo com a injeção de hormônios a partir do segundo ou terceiro dia da menstruação, sendo que o estímulo leva em torno de 10 a 14 dias consecutivos e servem para estimular a produção e maturação dos óvulos. A obtenção de um maior número de óvulos permite maiores taxas de fertilização, o que aumenta as chances de gravidez.

Na terceira parte do tratamento acontece a coleta dos óvulos. O procedimento acontece no centro cirúrgico com sedação, levando em média 30 minutos. Após a coleta os mesmos são transferidos ao laboratório para avaliação da equipe de embriologia. Os óvulos que apresentarem condições adequadas são então congelados para uso futuro. Na maioria das vezes todos os óvulos que a paciente produziu são coletados. A quantidade de óvulos congelados depende muito da idade da mulher e da quantidade de óvulos saudáveis ela gerou.

Os óvulos são congelados por dois métodos de congelamento. O lento e o rápido ou vitrificação. O congelamento lento vai diminuindo a temperatura aos poucos, depois da inclusão do frio protetor, substância que entra na célula e não permite que sejam criados cristais – os cristais podem romper os óvulos. Na vitrificação o processo é rápido, os óvulos são submetidos à baixa temperatura de forma abrupta, assim as chances de formação de cristais são menores e o resultado de recuperação do óvulo é maior; esta tem sido a técnica ultimamente utilizada na maioria dos centros de reprodução no Brasil e no Mundo.

Desejando a gravidez, a paciente poderá realizar o procedimento num ciclo natural ou num ciclo induzido em que será submetida a medicamentos para preparar a camada interna do útero, ou endométrio. Para definir o momento adequado, realiza-se o acompanhamento do endométrio por ultrassonografia transvaginal seriada. Uma vez que o mesmo esteja na espessura e padrão ideal os óvulos serão descongelados e serão submetidos a processo de fertilização com o sêmen do companheiro utilizando a técnica de Injeção Intra Citoplasmática dos Espermatozóides (ICSI). O(s) embrião(ões) será(ão) transferido por meio de um fino cateter para o interior da cavidade uterina, onde serão gentilmente depositados.