Assim como as mulheres, os homens devem estar atentos a saúde e qualidade do sistema reprodutivo.

Diferente da mulher, que possuí uma reserva de óvulos que diminuem com a idade, o homem produz os espermatozoides de forma contínua. Essa produção inicia na puberdade e dura até o final da vida.

Os espermatozoides são as células reprodutivas masculinas, formados por uma cabeça e uma cauda (ou flagelo). Na cabeça do espermatozoide está o núcleo onde se encontra todo o material genético.

A espermatogênese, ou seja, a produção de espermatozoides demora cerca de 70 dias. Um homem saudável produz, todos os dias, entre 100 e 200 milhões de espermatozoides.

O processo se inicia com células espermáticas imaturas que se desenvolvem e, uma parte delas chegam ao estágio de células espermáticas maduras (ou espermatozoides). Nesta etapa eles migram para o epidídimo, onde após 18 a 24 horas ganham a capacidade de se locomover, chamada de motilidade.

Aptos a se moverem, eles passam pelo ducto ou canal deferente até chegarem à vesícula seminal, onde ficam armazenados até o momento da ejaculação.

Estudos recentes demonstram que os hábitos da vida moderna, poluentes, estresse, alimentação errada, entre outras questões, tem diminuído a capacidade reprodutiva do homem.

A diminuição também ocorre naqueles que estão acima dos 50 anos e em homens que apresentam doenças genéticas, como alterações mentais, autismo ou câncer de próstata.

Em casos de adiamento de gravidez, é importante que o homem também tenha voz ativa nesta decisão. É importante que seja realizada uma avaliação com um urologista, andrologista ou um profissional que atue na área da reprodução humana para analisar que esta decisão seja tomada com consciência e responsabilidade.

Continue nos seguindo nas redes sociais e acompanhe nosso blog para saber das novidades e informações sobre reprodução assistida.

Prof. Dr. Álvaro Pigatto Ceschin

CRM-PR 10.060

Reprodução Humana | Vídeo-Histeroscopia | Vídeo-Laparoscopia