Tire todas suas dúvidas sobre reprodução humana

Esse espaço é dedicado a você, que está tentando engravidar, e não pode ficar com dúvidas em relação aos tratamentos e procedimentos que vai realizar

Para Quem Ainda Não Iniciou o Tratamento

A eco transvaginal pode danificar o bebê?

Esse tipo de técnica não prejudica a gravidez. O risco de aborto depende mais de outros fatores, como idade materna, defeitos cromossômicos do bebê, uso de medicamentos no início da gravidez, do que da técnica de ecografia utilizada, ou seja, se transvaginal ou abdominal.

As crianças nascidas de procedimentos tem maiores chances de malformações que os bebês que nasceram sem uso de nenhuma técnica?

Existem diversos estudos realizados desde o surgimento das técnicas de reprodução assistida. Em nenhum deles foi observado um numero maior de malformações nesses bebês. A porcentagem de crianças com malformações é a mesma em bebês nascidos com ou sem a ajuda de técnicas de reprodução, independente da técnica utilizada, ou seja, se for inseminação, fertilização in vitro ou ICSI.

As técnicas de reprodução aumentam as chances de uma gravidez fora do útero, nas trompas?

As chances de ocorrer uma gravidez nas trompas são de cerca de 1% nas gestações que ocorrem naturalmente. Nas mulheres que passaram por processos de reprodução assistida, essa porcentagem aumenta.

Como saber se os óvulos, espermatozóides e embriões utilizados são os nossos ou não?

O laboratório de reprodução tem uma série de procedimentos para evitar que haja esse tipo de confusão. A amostra de sêmen é etiquetada logo após a sua coleta, assim como as placas que contém os óvulos de cada paciente e os embriões de cada casal. Além disso, os procedimentos são realizados de forma sequencial, e não simultânea.

Homens que fizeram vasectomia podem ser pais novamente?

Podem; nesses casos, a técnica utilizada é o ICSI. Os espermatozóides são obtidos em biópsias de testículo e injetados nos óvulos da parceira no laboratório. Essa técnica pode ser utilizada também para homens com azoospermia, uma alteração onde não são encontrados espermatozóides no sêmen. Nesses casos, o sucesso da técnica depende se foram encontrados espermatozóides no tecido do testículo.

Mulheres menopausadas podem ser mães?

Nessas pacientes a produção de óvulos já cessou. A gravidez ainda pode ser obtida com uso de óvulos de doadora.

Mulheres que fizeram laqueadura ou que têm as trompas obstruídas podem engravidar?

Nesses casos a gravidez é obtida retirando os óvulos e fecundando-os em laboratório, transferindo depois os embriões conseguidos para dentro do útero.

Pode ser escolhido o sexo da criança?

O sexo é determinado pelo espermatozóide. Os óvulos apresentam sempre cromossomos X, e os espermatozóides são em média 50% cromossomos X e 50% cromossomos Y. Se o espermatozóide que fecundar o óvulo for X, o embrião formado será uma menina; se for Y, o embrião dará origem a um menino. A probabilidade de conseguir um menino ou menina pode aumentar em laboratório entre 50 a 70% com o uso de técnicas para separar os espermatozóides. Entretanto, a escolha do sexo da criança não é feita apenas pela vontade dos pais. Esse tipo de técnica é utilizado em alguns casos, para diminuir a probabilidade de transmitir doenças genéticas ligadas aos cromossomos sexuais.

Qual é a idade máxima pra tentar engravidar?

É sabido que a fertilidade feminina vai diminuindo com o passar da idade, pois os óvulos vão perdendo sua capacidade de serem fecundados, tanto por métodos naturais, quanto por técnicas de laboratório. Acima dos 40 anos as porcentagens de sucesso com os tratamentos, usando os próprios óvulos, podem diminuir. Entretanto, com o uso de óvulos de doadora as taxas de sucesso aumentam.

Quando posso saber se engravidei?

Após 14 dias da ovulação ou da transferência é possível realizar o B-HCG através de uma amostra de sangue da mãe.

Para Quem Já Iniciou o Tratamento

Quais exames devo fazer?

Existem diversos exames que são realizados durante uma investigação de infertilidade. Entre eles, são solicitados exames de sangue do casal, (hormonais, sorologias), teste de trompas (histerossalpingografia), ecografia do útero e ovários, espermograma. Em alguns casos a paciente pode precisar submeter-se a uma cirurgia, a vídeo-laparoscopia. Seu médico irá informar-lhe se é necessário no seu caso ou não.

Os exames de sangue femininos, por serem hormonais, são feitos preferencialmente até o terceiro dia da menstruação. Os de sangue do esposo podem ser realizados sem uma data pré-estabelecida.

A histerossalpingografia deve ser agendada nas clínicas de imagem logo no início da menstruação. O exame é realizado entre 7º e 12º dia do ciclo menstrual, porém é necessário ligar assim que começar o sangramento vaginal. Eventualmente seu médico poderá passar alguma medicação para ser utilizada antes do exame, a fim de evitar cólicas durante a realização do mesmo. É importante, para a realização deste exame, que o intestino esteja funcionando bem, para melhorar a qualidade das imagens e diminuir o desconforto da paciente.

A ecografia transvaginal geralmente não necessita um dia específico. Se for necessário, seu médico lhe dará as orientações necessárias.

Para a coleta do espermograma, solicitam-se entre 3 a 5 dias de abstinência sexual.

Quanto tempo antes do procedimento devo agendar uma consulta?

Para as pacientes que vão iniciar a investigação, a primeira consulta deve ser feita de acordo com sua disponibilidade. Nessa primeira consulta serão avaliados quais os exames necessários para seu diagnóstico. A grande maioria dos exames que você vai realizar dependem do seu período menstrual, assim sendo, se a consulta coincidir com seu sangramento, não há necessidade de desmarcar seu horário, pois isso facilitará alguns agendamentos de exames.

Esses exames são os que vão orientar a causa que está levando à dificuldade de engravidar. Quando for realizado o diagnóstico, é o tipo de tratamento proposto que vai determinar quando você deve retornar à clínica.

Nos casais que já passaram pela primeira consulta, e que possuem indicação de teste pós-coital ou inseminação intrauterina, o agendamento é feito durante o período menstrual do mês que você deseja realizar o tratamento. Você deve agendar como controle de ovulação. Não há necessidade de outra consulta prévia, pois a paciente irá conversar com seu médico no início deste controle.

Já nos casais onde a indicação é fertilização, é importante manter um contato, seja através de consulta médica, seja contato telefônico com seu médico ou com a enfermeira responsável pelo setor de Reprodução Humana (Enf. Tatiana), cerca de 30 dias antes do mês que você deseja realizar seu tratamento. Nessa conversa, pessoalmente ou por telefone, serão determinados os dias de início das medicações ou da primeira ecografia do ciclo de tratamento.

A equipe encontra-se à disposição para esclarecimentos em qualquer momento que vocês sentirem necessidade.

Como devo agendar o controle de ovulação?

Quando iniciar a menstruação, ligar na clínica e agendar controle de ovulação. Os controles são realizados às segundas, quartas e sextas-feiras, entre 8:00 e 13:30 horas. Caso sua menstruação ocorra no final de semana, compareça à clínica na segunda-feira pela manhã, mesmo sem agendamento prévio. A primeira ecografia é realizada até o terceiro dia da menstruação, para avaliar que útero e ovários estejam em ordem para iniciar as medicações.

Após a ecografia, será realizada uma consulta com seu médico, que determinará o tipo de medicação e o dia de retorno à clínica. Após essa segunda ecografia, seu retorno na clínica será a cada dois dias, sempre seguido por uma consulta, para avaliar o padrão de resposta ao tratamento e determinar o dia do período fértil.

Durante essa fase do tratamento, você pode manter relações, se assim quiser. Quando estiver próximo do seu período fértil, seu médico lhe orientará a evitar relações, geralmente com 2 a 5 dias de abstinência. Esse período é variável de acordo com cada caso, converse com seu médico para saber o período aconselhado para vocês.

Como utilizar as medicações injetáveis?

A maioria das medicações injetáveis é utilizada por via subcutânea. Algumas delas já vêm preparadas, prontas para serem administradas. As canetas multidose permitem que você mesma selecione a dose que seu médico orientou e faça as aplicações nos horários pré-determinados. As ampolas individuais devem ser preparadas dissolvendo o pó da ampola no líquido diluente, que acompanha a medicação. Quando há necessidade de duas a três ampolas por horário de medicação, você pode utilizar apenas um diluente, diminuindo assim o volume que será administrado, com a mesma dose orientada por seu médico.

Algumas ampolas já vêm pré-carregadas, sem haver necessidade que você misture o pó do produto a um diluente.

Já os kit’s contêm uma ampola com a medicação já pronta para o uso, sem necessidade de preparo. Entretanto, a dose a ser administrada deve ser aspirada na seringa que você for utilizar naquele dia, de acordo com a prescrição de seu médico.

A progesterona injetável não necessita de refrigeração. Seu uso é intramuscular, diferente das demais descritas.

Para aplicar os medicamentos, deixe tudo que vai ser utilizado à mão. As ampolas, algodão com álcool, lenço de álcool para higiene da pele, seringas, agulhas.

Limpe uma superfície lisa (mesa, bancada) com álcool e então coloque neste local o material que vai ser utilizado.

Siga as orientações específicas para cada medicação, fornecidas pela equipe de enfermagem da clínica, dadas após a consulta com seu médico.

Entre em contato com a nossa equipe caso tenha dificuldade em alguma aplicação, para que possamos ajudá-la.

Como armazenar e transportar as medicações?

A maior parte dos medicamentos que você utilizará para seu tratamento deve ser mantida sob refrigeração. A equipe da clínica irá lhe orientar sobre quais devem ser conservados em temperatura adequada.

As ampolas individuais, canetas multidose, kit’s multidose e o creme vaginal de progesterona, devem ser acondicionados para o transporte até sua casa (ou caso haja necessidade de sair com esses produtos) dentro de uma caixa de isopor com gelo reciclável em seu interior ou dentro de uma sacola térmica, também com o mesmo tipo de gelo.

Ao chegar a seu destino, retirar as medicações da caixa de isopor e armazená-las dentro da geladeira (nunca no freezer).

Não guarde esses medicamentos nas prateleiras da porta da geladeira. O lugar ideal para deixar tais medicações é no meio da prateleira central, pois assim não estarão sujeitos às mudanças bruscas de temperatura que podem ocorrer toda vez que você abrir sua geladeira.

O gelo reciclável que acompanha os medicamentos pode ser mantido dentro do freezer. Assim, se você precisar sair e coincidir com o horário de sua aplicação, poderá fazê-lo sem alterar seu tratamento.

Já fiz meu procedimento! E agora?

Depois de um período que incluiu programação de datas, consultas, exames, controle de ovulação, uso de medicamentos, finalmente vocês concluíram seu tratamento. E agora?

Nessa fase é muito importante manter alguns cuidados que podem ajudar no sucesso do tratamento. Para as pacientes que realizaram um controle de ovulação com teste pós-coital, não há maiores restrições. As relações sexuais estão liberadas, se for da vontade do casal, sem maiores preocupações com horários. As atividades físicas estão liberadas, de acordo com a disponibilidade da própria paciente. Deve-se manter o uso das medicações prescritas por seu médico.

As pacientes submetidas a inseminação devem evitar maiores esforços no dia do procedimento, estando liberadas para as atividades normais no dia seguinte. As medicações prescritas por seu médico, após o dia do tratamento, também devem ser mantidas. As relações sexuais estão liberadas conforme orientação de seu médico. As atividades físicas e esportivas, em geral, podem ser retomadas no dia seguinte à inseminação.

Nos casais submetidos a uma fertilização, solicita-se repouso no dia da aspiração folicular, uma vez que a paciente foi submetida a um procedimento anestésico. No dia seguinte, pode-se retomar às atividades leves. No dia da colocação dos embriões, solicita-se repouso. Logo após o procedimento você permanecerá deitada, na sala de transferência, durante um período de aproximadamente uma hora, e em seguida será liberada. Em casa, não há necessidade de ficar acamada, como muitos casais imaginam. Entretanto, um repouso relativo, evitando esforços maiores, como andanças muito prolongadas, academia com exercícios muito vigorosos, ou atividades que envolvam trepidação (como andar em estradas de chão ou muito esburacadas), devem ser evitadas pelo menos nos três primeiros dias após a transferência.

As relações devem ser evitadas por cerca de cinco a sete dias. O peso maior que a paciente pode carregar é em torno de cinco kilos, até a realização do teste de gravidez.

Outra recomendação importante é cuidar com a alimentação, para que o intestino funcione bem, independente do tratamento que você tiver realizado. A progesterona utilizada, independente da sua via de administração, pode levar à obstipação. Principalmente nas pacientes submetidas a coleta de óvulos, esse pode ser um fator para desconforto abdominal, aliado ao aumento do volume dos ovários, próprio de quem passou por uma estimulação ovariana.

Vale recordar que estas recomendações são gerais, podendo ser individualizadas para seu caso de acordo com seu médico.

Como lidar com a ansiedade até a realização do beta?

Todo casal que está tentando uma gestação há muito tempo enfrenta uma grande ansiedade desde o término de seu tratamento até o momento de realizar o teste de gravidez. Os dias são contados, até chegar a data agendada para a realização do tão aguardado exame. Como lidar com a ansiedade nessas duas semanas?

Cada um de nós têm uma maneira própria de lidar com suas tensões. Alguns canalizam sua energia para o esporte, outros para o trabalho; outros ainda acabam ingerindo alimentos sem muito controle… Independente de qual seja o motivo da ansiedade, é importante ter em mente que os excessos em si são prejudiciais. O esporte de maneira exagerada em quem não tenha condicionamento físico para isso pode prejudicar as articulações; o trabalho em demasia, sem considerar um tempo necessário ao lazer para aliviar o stress diário, pode acarretar ou mesmo piorar sintomas como cefaléia; comer sem controle pode levar à obesidade, com as conseqüências deletérias para o organismo que o excesso de peso pode trazer, independente de questões estéticas.

E infelizmente, quando o assunto é ansiedade, não existe fórmula mágica; existe sim uma série de acertos e erros até encontrar o que lhe traga mais serenidade. Algumas pessoas encontram refúgio ao ler um bom livro; ao realizar caminhadas ao ar livre ou yoga; ao encontrar seus entes queridos; ao trabalhar com o que gostam; ao realizar algum tipo de terapia. As ansiedades devem ser vividas sim, pois fazem parte do dia-a-dia deste organismo complexo e cheio de “filigranas” que somos nós, seres humanos. Cabe a nós descobrir a melhor forma de conviver com ela.
As pacientes submetidas a inseminação devem evitar maiores esforços no dia do procedimento, estando liberadas para as atividades normais no dia seguinte. As medicações prescritas por seu médico, após o dia do tratamento, também devem ser mantidas. As relações sexuais estão liberadas conforme orientação de seu médico. As atividades físicas e esportivas, em geral, podem ser retomadas no dia seguinte à inseminação.

Nos casais submetidos a uma fertilização, solicita-se repouso no dia da aspiração folicular, uma vez que a paciente foi submetida a um procedimento anestésico. No dia seguinte, pode-se retomar às atividades leves. No dia da colocação dos embriões, solicita-se repouso. Logo após o procedimento você permanecerá deitada, na sala de transferência, durante um período de aproximadamente uma hora, e em seguida será liberada. Em casa, não há necessidade de ficar acamada, como muitos casais imaginam. Entretanto, um repouso relativo, evitando esforços maiores, como andanças muito prolongadas, academia com exercícios muito vigorosos, ou atividades que envolvam trepidação (como andar em estradas de chão ou muito esburacadas), devem ser evitadas pelo menos nos três primeiros dias após a transferência.

As relações devem ser evitadas por cerca de cinco a sete dias. O peso maior que a paciente pode carregar é em torno de cinco kilos, até a realização do teste de gravidez.

Outra recomendação importante é cuidar com a alimentação, para que o intestino funcione bem, independente do tratamento que você tiver realizado. A progesterona utilizada, independente da sua via de administração, pode levar à obstipação. Principalmente nas pacientes submetidas a coleta de óvulos, esse pode ser um fator para desconforto abdominal, aliado ao aumento do volume dos ovários, próprio de quem passou por uma estimulação ovariana.

Vale recordar que estas recomendações são gerais, podendo ser individualizadas para seu caso de acordo com seu médico.

Meu beta veio positivo!!! O que fazer?

Após todo esse tempo, finalmente o resultado tão aguardado. Parabéns! E agora?

É importante manter os cuidados descritos anteriormente quanto a esforços físicos e hábito intestinal. As medicações devem ser mantidas. A progesterona via vaginal em formato de óvulo habitualmente tem sua dose dobrada, porém seu médico irá lhe informar qual a dose recomendada em seu caso.

Se não tiver realizado o exame no posto de coleta da clínica, entre em contato para agendarmos as novas datas de exames. As pacientes que realizaram seu exame na clínica são contactadas pela enfermeira responsável que informará quando será realizada a nova coleta.

São realizadas duas coletas de beta HCG, com intervalo de uma semana entre elas, para avaliar o padrão da curva de crescimento. Essa informação permite acompanhar a gestação, antes mesmo dela aparecer nos exames de ultrassom.

A primeira ecografia é agendada entre 6-7 semanas de atraso menstrual. As ecografias seguintes são solicitadas de acordo com a orientação de seu médico.

A equipe do Instituto está à disposição para maiores esclarecimentos em mais essa etapa de seu projeto de vida. Conte conosco!