Videolaparoscopia Ginecológica

A videolaparoscopia é um procedimento cirúrgico minimamente invasivo. Realizada em ambiente hospitalar, necessita de anestesia peridural e sedação. O abdome é insuflado com gás carbônico, causando uma distensão que permite a colocação do instrumental cirúrgico. A seguir , é realizado um corte de aproximadamente 1 cm na cicatriz umbilical.
Por essa abertura, é colocada uma câmera de vídeo, e em seguida são realizados outros dois cortes pequenos, um logo acima da pube, outro na região lateral esquerda, em baixo ventre. Através desses outros cortes são introduzidas outras pinças com pontas delicadas para manipulação das estrutruras pélvicas.
Suas indicações são:
  • diagnóstico e tratamento de endometriose;
  • tratamento de cistos de ovário de diversas etiologias;
  • tratamento de doença inflamatória pélvica;
  • gestação ectópica;
  • liberação de aderências pélvicas;
  • retirada cirúrgica de alguns tipos de miomas;
  • salpingectomia e salpingoplastia;
  • laqueadura tubárea.
Pelo fato das cicatrizes serem pequenas, a recuperação é mais rápida do que em uma cirurgia convencional, onde há necessidade de cortes grandes na pelve. O internamento habitualmente ocorre por uma noite, eventualmente a paciente pode ser liberada no mesmo dia para repouso em casa.
Devido ao gás que é insuflado, pode haver distensão abdominal leve ou mesmo dor irradiada para o ombro. A retomada das atividades ocorre entre 5 a 7 dias após o procedimento. Em uma semana são retirados os pontos da pele.